Bate papo sobre saudades e momentos incríveis

Bate-papo sobre Ecommerce
Padrão

Voltei a estudar sobre comércio eletrônico por conta do novo trabalho e escrevendo um breve histórico sobre o BPEC (Bate papo sobre e-commerce) lembrei de vários momentos incríveis:

  1. Como conheci a Lígia Zeppelini, essa pessoa fantástica que tanto me inspirou e motivou a realizar as edições do BPEC;
  2. As pessoas e profissionais fora de série que conheci por causa do BPEC;
  3. Na Geisa de 2011 e a Geisa de 2015;
  4. Que devo urgente fazer um backup dos eventos que já fiz e não depender de um único sítio (nos meus e-mails tenho registro de uma 10ª edição, mas só encontrei links até a 9ª);
  5. Que eu preciso voltar a promover estes encontros, unir e reunir pessoas ainda este ano!
  6. Spoiler: provavelmente, o Papo Business e o Clube do Livro Salvador voltam, em ao menos +2 edições cada!

Aqui um breve histórico das edições do Bate papo sobre eCommerce Salvador: http://geisasantos.com/projetos/bate-papo-sobre-ecommerce/

Aniversário do Raul Hackerclub ~ música, feijoada e hackers

Padrão

Há um tempo venho participando de um hackerclub muiiiitooo bacana, que é o primeiro hackerspace de Salvador, o Raul Hackerclub.

Este domingo, dia 28/06, além do aniversário do grupo, é a celebração do amadurecimento deste projeto: mais pessoas envolvidas, mais atividades, mais encantamento, mais fortalecimento, nova sala.

O que: Aniversário do Raul Hackerclub
Quando: 28/06/2015
Horário: a partir das 12h
Como chegar*: http://raulhc.cc/Doc/Sede#ComoChegar
Feijoada hacker (deliciosa, feita pela Ilza do Rango Vegan): R$ 15,00
* a depender da sua sorte, é possível que encontre vaga para estacionar. Se for em grupo, opte pela carona compartilhada.

Medo que dá medo do medo que dá

IMG_20150606_132450735
Padrão

Tenho refletido muito sobre medo.

Ultimamente mais pela saúde do que pela segurança do meu corpo e mente.

– Medo da roupa que vou vestir

– Medo de andar na rua

– Medo de comer (na rua, em casa, em qualquer lugar que eu não saiba a procedência dos ingredientes)

– Medo de voltar a ficar doente (de novo ~ pelo mesmo medo anterior e pelo estafa)

– Medo de reaprender a andar de bike (e voltar várias casas no tabuleiro da vida ~ malditas “ites”)

– Medo de nunca mais voltar a comer metade do que podia ou acabar com mais restrições alimentares

– Medo de não estar vivendo

Poderia falar mais sobre os medos que me cerceiam, mas quero apenas deixar esta música linda cantada pelo Lenine e pela maravilhosa Julieta Venegas: Miedo. Resume a vida.

É com trechos desta música que irei destrinchar alguns medos durante os próximos posts.

Quem quiser ver a letra da música: (tem um errinho em medo de iludir >> o certo é “medo de dormir”)

Composição: Pedro Guerra/Lenine/Robney Assis

http://www.vagalume.com.br/lenine/miedo.html

Bikes vs Carros – documentário será exibido dia 28/06 em Salvador

Padrão

A exibição do filme Bikes vs Carros, seguida de um bate papo é uma oportunidade para se refletir sobre o momento em que o movimento do ciclismo está passando em nossa cidade, as bicicletas viraram hoje um símbolo de uma rediscussão do espaço público e da mobilidade urbana, precisamos reivindicar melhorias, pedir manutenção e ampliação de ciclovias e ciclofaixas, a educação no trânsito melhora com a participação de todos. – Mobicidade Salvador

O QUÊ: Filme Documentário BIKESvsCARROS (exibição + bate papo sobre tema do filme).
ONDE: Sala Walter da Silveira (Biblioteca Pública do Estado da Bahia)
QUANDO: 28/06 (DOMINGO)
HORÁRIO: 17H
VALOR: Gratuito (retirar ingresso 1h antes da exibição)

Mais detalhes da exibição do documentário em Salvador (Facebook)

Site oficial: http://www.bikes-vs-cars.com/

Como eu queria já estar andando de bike para participar do rolê de ida e volta.

Uma ótima forma de aprender um idioma

Padrão

Retomando as atividades com o Papo Business, percebi o quanto inglês e outros idiomas ainda são uma grande barreira no aprendizado e participação das pessoas em grupos de estudos e demais atividades que tenham/envolvam falar/ler/ouvir/escrever em outra língua.

Estudei em duas escolas durante anos, mas não completei o curso de 6 anos em nenhuma das. Cursei metade em cada e não tenho o menor interesse em voltar a gastar insanamente sem obter os resultados prometidos. É relativo, mas vou contar uma coisa para vocês. Na última escola me envolvi em todas as tarefas oferecidas oficialmente e não-oficialmente: grupos de estudos, grupos de conversação, dia musical com tradução dirigida pelo Professor Júlio (gente que figuraça! uma pessoa maravilhosa e ótimo professor), a biblioteca que visitava todos os dias jogando Full Throttle, aprendendo a escrever em blogs com os estrangeiros que passavam por lá e desenvolver páginas em HTML através do bloco de notas (juro! e com apostilas enormes), depois em PHP, grupos de leitura, alugando CDs e filmes em VHS (colava uma tira de folha A4 para esconder as legendas)…que ótimos anos! E foram todas estas atividades extras que me deram a boa base que tenho em inglês, pois já esqueci tudo de francês e espanhol. Porém, isto partiu unicamente de mim, pois queria muito aprender e fazer valer o investimento. A escola e alguns professores não incentivavam os alunos para atividades extras. Só as aulas com provinhas não servem. Muitas escolas seguem o modelo tradicional de ensino.

Infelizmente, com tempo sem praticar, perdi a prática do listening, das conversações e até mesmo a da leitura (que mantive ativa, mas não com a mesma frequência que lia e discutia com outros alunos).

Já falei aqui sobre o Livemocha, mas por conta dos rapazes que queriam mais um live sex que conversar e corrigir minhas tarefas, abandonei a plataforma.

Com o Clube do Livro Salvador, passei a comprar e ler mais livros em inglês, participar dos fóruns e até me envolvi em projetos de tradução. Resolvi manter as atividades que fazia na época do curso de inglês: leituras, filmes e seriados ativando e desativando as legendas, participava de fóruns em inglês (em diversos temas) e tentava sempre comentar. Nesse meio tempo tomei coragem e ativei um projeto antigo para aprendizado em grupo através de clubes de leitura voltados a área de negócios, o Papo Business.

Ontem vi um retweet do Professor Masanori (Python for Zumbies, que estou fazendo) para a Julie Pagano que disponibilizou seu vídeo e legendas em inglês para um projeto colaborativo de tradução, permitindo que mais pessoas possam assistir a palestra.

Eis que na madrugada mesmo iniciei minha contribuição para as legendas em PT-Br. Falarei mais sobre minha empolgação com o tema e atividade em outra publicação.

Aprimorando o aprendizado

E o Amara? Adorei conhecer esta plataforma de tradução colaborativa. O propósito deles é facilitar para as pessoas surdas e com dificuldades auditivas, além de proporcionar que mais vídeos estejam acessíveis  para mais pessoas de diferentes idiomas. São diversos projetos que você pode se voluntariar.

É isso, people.

Até o próximo post.

P.S.: Escolham outro dicionário se puderem. Neste não encontro vários verbetes e sempre tenho de recorrer ao São Google. E não são palavras relacionadas a negócios, gírias, programação e etc. Já tenho ele há uns meses ou quase um ano, mas não vou comprar outro justamente por causa da grande ajuda do Google.

Back again!

Padrão

Eu sei. Tenho plena consciência de que não poderia ter mantido o blog tanto tempo sem atualizações.

Não foi por falta de tempo, mas nunca vi o WordPress como uma plataforma para poucos caracteres ou mesmo replicar posts. (apesar de ter publicado posts assim) E eu andava sem tempo para escrever mais, com toda atenção e cuidado que um texto merece. (in my opinion)

Deixei os pensamentos rápidos a serem compartilhados no Tumblr, Twitter e afins.

Minha caixa de rascunhos está cheia.
Antes que as poucas pessoas que ainda seguem o feed se desesperem (eu sei que você esqueceram de cancelar a subscrição), vou liberar as publicações aos poucos, mas diariamente ou com uma frequência de 2 em 2. (na verdade ainda não decidi qual será)

Há também, uma grande dúvida sobre manter o WordPress (inclusive não vou renovar minha conta premium por qui), pois ando namorando as plataformas estáticas (vou contar mais depois), também estou namorando o Medium e tem o Tumblr, que adoro e esse continua (bem e com vários, já que tem a opção de colaboração, participo e tenho vários. ADORO.).

Outra dúvida era sobre os temas a abordar. Se mantinha sobre mídias sociais, se sobre tecnologia, design e experiência do usuário, ou startups/empreendedorismo ou se deixava tudo como estava antes: cardápio variado.

É isso.

Até o próximo post.

Novidades e mais Hootsuite

Padrão

Fiquei sem atualizar o blog, mas logo, logo, voltarei a publicar mais sobre empreendedorismo, eventos e Hootsuite.

Muitas pessoas entram em contato comigo para tirar dúvidas (algumas até como suporte técnico) sobre o Hootsuite e estou separando alguns posts curtos com dicas, como gerar relatórios.

Eis que fica aqui uma pequena enquete: o que vocês gostariam de saber mais sobre o Hootsuite?

Até mais!

Posted from WordPress for Android.