Uma ótima forma de aprender um idioma

Padrão

Retomando as atividades com o Papo Business, percebi o quanto inglês e outros idiomas ainda são uma grande barreira no aprendizado e participação das pessoas em grupos de estudos e demais atividades que tenham/envolvam falar/ler/ouvir/escrever em outra língua.

Estudei em duas escolas durante anos, mas não completei o curso de 6 anos em nenhuma das. Cursei metade em cada e não tenho o menor interesse em voltar a gastar insanamente sem obter os resultados prometidos. É relativo, mas vou contar uma coisa para vocês. Na última escola me envolvi em todas as tarefas oferecidas oficialmente e não-oficialmente: grupos de estudos, grupos de conversação, dia musical com tradução dirigida pelo Professor Júlio (gente que figuraça! uma pessoa maravilhosa e ótimo professor), a biblioteca que visitava todos os dias jogando Full Throttle, aprendendo a escrever em blogs com os estrangeiros que passavam por lá e desenvolver páginas em HTML através do bloco de notas (juro! e com apostilas enormes), depois em PHP, grupos de leitura, alugando CDs e filmes em VHS (colava uma tira de folha A4 para esconder as legendas)…que ótimos anos! E foram todas estas atividades extras que me deram a boa base que tenho em inglês, pois já esqueci tudo de francês e espanhol. Porém, isto partiu unicamente de mim, pois queria muito aprender e fazer valer o investimento. A escola e alguns professores não incentivavam os alunos para atividades extras. Só as aulas com provinhas não servem. Muitas escolas seguem o modelo tradicional de ensino.

Infelizmente, com tempo sem praticar, perdi a prática do listening, das conversações e até mesmo a da leitura (que mantive ativa, mas não com a mesma frequência que lia e discutia com outros alunos).

Já falei aqui sobre o Livemocha, mas por conta dos rapazes que queriam mais um live sex que conversar e corrigir minhas tarefas, abandonei a plataforma.

Com o Clube do Livro Salvador, passei a comprar e ler mais livros em inglês, participar dos fóruns e até me envolvi em projetos de tradução. Resolvi manter as atividades que fazia na época do curso de inglês: leituras, filmes e seriados ativando e desativando as legendas, participava de fóruns em inglês (em diversos temas) e tentava sempre comentar. Nesse meio tempo tomei coragem e ativei um projeto antigo para aprendizado em grupo através de clubes de leitura voltados a área de negócios, o Papo Business.

Ontem vi um retweet do Professor Masanori (Python for Zumbies, que estou fazendo) para a Julie Pagano que disponibilizou seu vídeo e legendas em inglês para um projeto colaborativo de tradução, permitindo que mais pessoas possam assistir a palestra.

Eis que na madrugada mesmo iniciei minha contribuição para as legendas em PT-Br. Falarei mais sobre minha empolgação com o tema e atividade em outra publicação.

Aprimorando o aprendizado

E o Amara? Adorei conhecer esta plataforma de tradução colaborativa. O propósito deles é facilitar para as pessoas surdas e com dificuldades auditivas, além de proporcionar que mais vídeos estejam acessíveis  para mais pessoas de diferentes idiomas. São diversos projetos que você pode se voluntariar.

É isso, people.

Até o próximo post.

P.S.: Escolham outro dicionário se puderem. Neste não encontro vários verbetes e sempre tenho de recorrer ao São Google. E não são palavras relacionadas a negócios, gírias, programação e etc. Já tenho ele há uns meses ou quase um ano, mas não vou comprar outro justamente por causa da grande ajuda do Google.

Back again!

Padrão

Eu sei. Tenho plena consciência de que não poderia ter mantido o blog tanto tempo sem atualizações.

Não foi por falta de tempo, mas nunca vi o WordPress como uma plataforma para poucos caracteres ou mesmo replicar posts. (apesar de ter publicado posts assim) E eu andava sem tempo para escrever mais, com toda atenção e cuidado que um texto merece. (in my opinion)

Deixei os pensamentos rápidos a serem compartilhados no Tumblr, Twitter e afins.

Minha caixa de rascunhos está cheia.
Antes que as poucas pessoas que ainda seguem o feed se desesperem (eu sei que você esqueceram de cancelar a subscrição), vou liberar as publicações aos poucos, mas diariamente ou com uma frequência de 2 em 2. (na verdade ainda não decidi qual será)

Há também, uma grande dúvida sobre manter o WordPress (inclusive não vou renovar minha conta premium por qui), pois ando namorando as plataformas estáticas (vou contar mais depois), também estou namorando o Medium e tem o Tumblr, que adoro e esse continua (bem e com vários, já que tem a opção de colaboração, participo e tenho vários. ADORO.).

Outra dúvida era sobre os temas a abordar. Se mantinha sobre mídias sociais, se sobre tecnologia, design e experiência do usuário, ou startups/empreendedorismo ou se deixava tudo como estava antes: cardápio variado.

É isso.

Até o próximo post.

Novidades e mais Hootsuite

Padrão

Fiquei sem atualizar o blog, mas logo, logo, voltarei a publicar mais sobre empreendedorismo, eventos e Hootsuite.

Muitas pessoas entram em contato comigo para tirar dúvidas (algumas até como suporte técnico) sobre o Hootsuite e estou separando alguns posts curtos com dicas, como gerar relatórios.

Eis que fica aqui uma pequena enquete: o que vocês gostariam de saber mais sobre o Hootsuite?

Até mais!

Posted from WordPress for Android.

1ª edição do Papo Business – Satisfação Garantida

Padrão

Sou apaixonada por livro, leitura e discussão. Muitas pessoas acabam me conhecendo através dos encontros literários em Salvador. Atualmente faço parte de 3 grupos de discussão: meu xodó número 1, que é o Clube do Livro Salvador, o UX Book Club do Laert Yamazaki e o Bate Papo sobre Quadrinhos dos queridos do blog Quadro a Quadro.  Fora as edições extras com lançamentos e encontros de fãs.

Posso dizer que aproveito cada minuto do meu dia. Descanso, vivo, trabalho, assisto meus seriados favoritos e ainda arranjo tempo para fomentar e disseminar cultura e conhecimento em outros projetos pela cidade.

Antes mesmo de iniciar o Clube do Livro Salvador (que este mês completa 2 anos!) eu já planejava criar um círculo do livro de negócios. Algo que tentei fazer na época da faculdade, depois na pós-graduação, mas sem sucesso.

Ano passado fiz apenas uma edição com o nome Biz Book Club e por causa da agenda com diversos projetos ocorrendo, resolvi dar uma pausa e amadurecer a ideia.

Resolvi fazer com o mesmo tema do ano passado, tanto a pedidos de amigos quanto de pessoas que ainda não conheciam o projeto. A freqüência mudou e este ano só realizarei 4 encontros no total.

Nesta quinta-feira, dia 15/03, às 19h, estarei na Saraiva Megastore Iguatemi realizando a primeira edição do Papo Business com o livro “Satisfação Garantida” de Tony Hsieh (co-fundador da Zappos).

Não é um clube de leitura (onde é necessário ter lido o livro). Então, venha mesmo! Livros de negócios e acadêmicos são ótimos porque não tem spoiler.

Vou fazer alguns comentários sobre ele e discutir alguns pontos interessantes (na verdade selecionei alguns – este livro transborda de insights) com os participantes.

Para não dizer que você nunca leu nada deste, segue aqui uma “degustação” do livro “Satisfação Garantida”.

Abaixo um vídeo do Tony Hsieh, falando sobre o livro:

Recapitulando:

1º Papo Business – 15/03 – 19h – Saraiva do Shopping Iguatemi – Espaço Glauber Rocha.

Evento gratuito, mas aceito notas fiscais (JAN-MAR) para doar a uma instituição social.

Até lá!

“E para todos que colocamos no nosso convívio, a melhor habilidade que podem trazer é a experiência da aprendizagem e da adaptação e a imaginação de coisas novas – ajudando a crescer e, no processo, também estarão crescendo.”

Tony Hsieh – trecho do livro “Satisfação Garantida”.

sOccket: a bola de futebol que gera energia.

Padrão

Depois de mais uma semana acompanhando notícias das barbaridades que os humanos são capazes, descubro uma notícia daquelas que te fazem sorrir e acreditar que ainda dá pra ter fé na humanidade.

Quatro engenheiras desenvolveram uma bola de futebol que gera energia. Só 15 minutos geram 3 horas de energia limpa.

Jessica Lin, Jessica Matthews, Julia Silverman e Hemali Thakkar, são as inventoras deste projeto maravilhoso que vou explicar melhor.

Tudo começou lá em 2008, quando as garotas ainda estavam na universidade. Sabendo que muitas crianças africanas iam para a escola com o rosto sujo de fuligem por terem estudado na noite anterior sob a luz de uma lamparina a querosene, que é altamente poluente e prejudicial à saúde, durante o curso de engenharia na Harvard, elas pensaram numa forma de solucionar este problema energia de forma sustentável através de uma brincadeira comum entre estas crianças: o futebol.

Ao se brincar com a bola, ela capta energia cinética de suas colisões, que normalmente é perdida para o ambiente. Isso é feito por meio de uma bobina indutiva e um ímã que estão dentro da bola. O movimento da bola, por sua vez, movimenta o ímã através da bobina metálica, alterando o campo magnético, que induz uma voltagem na bobina, gerando assim energia. A energia produzida ao se jogar uma pelada durante uns 15 minutos pode manter acesa uma lâmpada LED (Light Emitting Diodes) durante cerca de três horas ou carregar a bateria de um aparelho de telefone celular.

Genial! Fantástico! Gerando energia de forma sustentável, divertida e colaborativa.

O nome do projeto vem da junção das palavras soccer (futebol em inglês) e socket (soquete, conector para ligar a uma tomada).

O projeto recebeu vários prêmios e apoio financeiro para produção em escala. A cada sOccket adquirida, uma é doada a uma família que não possui energia elétrica em casa. Em diversas regiões do mundo muitas famílias não possuem energia elétrica e utilizam como alternativa lâmpadas a querosene, geradores movidos a diesel, madeira e carvão. Num dos infográficos do site apresenta que além dos danos ao meio ambiente, estas alternativas causam a morte de 1,6 milhões de pessoas. Por ano.

Se é ‘A’ solução para a crise de energia, eu não sei, mas vai ajudar muitas famílias com certeza.

Vai solucionar problemas sociais como escravidão infantil nas minas de carvão e funilarias? Não, mas alguém está produzindo algo realmente útil, pensando no coletivo e em prol de uma causa social.

Conheça mais sobre o projeto: http://www.soccket.com.

Vale o click e dá um orgulho danado!

Deixo um vídeo com a Jéssica Mathews apresentando este projeto:

7ª Edição do Bate-papo sobre e-Commerce – Startups

Padrão

Não é recente o interesse que as startups brasileiras vêem despertando mundo afora. Em junho deste ano uma analista econômica publicou um artigo sobre a economia ascendente do Brasil e que este era o país mais procurado por investidores estrangeiros para capital empreendedor.

No primeiro semestre de 2011 tivemos diversas inciativas privadas como o Desafio Buscapé e esta semana o Governo Federal anunciou que estará destinando R$ 2 bilhões para inovação (através do Finep).

O Bate-papo sobre e-Commerce deste mês que acontece em Salvador convida 3 Startups baianas de perfis diferentes, em estágios diferentes para compartilharem a experiência e verdades sobre este modelo de negócio.

Será uma ótima oportunidade para quem deseja conhecer mais sobre o assunto e conversar com empreendedores que vivenciaram/vivenciam o dia a dia de uma Startup. São eles:

  • Jacques Chicourwl, é empreendedor e atua no desenvolvimento de startups desde o mentoring de empreendedores à participação na gestão de novos negócios. Atualmente é responsável pela modelagem de produtos da Convergence Works e gestor executivo da startup iSaude Bahia, portal de conteúdo em saúde. Alem da experiência executiva, é professor em cursos de MBA da UNIFACS das disciplinas de marketing, empreendedorismo e sistemas de informação.

Links: LinkedIn Twitter Slideshare

  • Camilo Telles, CTO da Zetks, empresa responsável pela pré-venda de ingressos do Rock in Rio, uma startup baiana. Camilo T. é mestre em computação, diretor presidente do SOFTEX Salvador, pesquisador do NUPERC/UNIFACS.

Links: Twitter LinkedIn Blog

Thomas Buck é formado em Engenharia Mecânica pela UFBA, mestre em Engenharia Elétrica pela UNICAMP e doutor em Informática (obtido na Alemanha). É professor há vários anos, onde ensina disciplinas de processamento de imagens, visão computacional e computação gráfica, dentre outras. Nos últimos anos, já como colaborador da UNIFACS, teve contato com os temas em questão, como empreendedorismo e inovação de base tecnológica. Em 2009 iniciou, junto com outro sócio, a Implementar, que finalizou recentemente seu primeiro produto, o EGIS.

Informações

Data: 27/08/2011 (Sábado)
Horário: das 14h às 16h
Local: Teatro Eva Herz – Livraria Cultura – Salvador Shopping – 3º piso.

Programação

14h00 Boas vindas e apresentação

14h05 Camilo Telles

14h35 Alex Chastinet e Thomas Buck – “Empreendedorismo e inovação tecnológica: Uma visão do cenário atual”

15h05 Intervalo

15h15 Jacques Chicourwl

16h00 Hora de dar tchau

Entrada: 1kg de alimento não perecível – Doações para Associação São Francisco de Assis.

Link para inscrições:  http://migre.me/5w0N7

Organização

Geisa Santos – http://about.me/geisasantos

Apoio

Bate-papo sobre e-Commerce nas redes:

Nosso Twitter: http://twitter.com/bpecommerce

Nosso Fan Page:http://migre.me/wHvO

Participe da rede: http://batepapoecommerce.ning.com

Quer patrocinar o BPEcommerce? Acesse nosso MidiaKit 2011 e entre em contato através do geisa@geisasantos.com.

Afinal, o que é uma Startup?

Padrão

Google, Yahoo!, Zappos!, Camiseteria, Samba Tech, byMK, Migre.me, Portal JusBrasil. Quando mencionarem sobre startups você com certeza irá ouvir um destes nomes citados.

Ao buscar sobre ‘conceitos’, encontrei diversas definições sobre o que são Startups.

Start-up é um modelo de empresa jovem, embrionária, recém-criada, ou ainda em fase de constituição, implementação e organização de suas operações (o que é mais comum). Podendo até mesmo sequer ter iniciado a comercialização de seus produtos e serviços. Pode também ser uma empresa totalmente solidificada no mercado que beneficiou de um crescimento rápido.

Da Zerotrack Inteligência Digital.

Comparando as empresas que citei no início com a definição apresentada acima, se encaixam.

Porém, será que toda empresa jovem, com negócios na internet é uma Startup?

Sites de compras coletivas, Facebook, Twitter, um portal de entretenimento, uma loja virtual no Etsy para vender artesanato, serão exemplos de startups também?

Era a minha dúvida ao ler diversas definições.

Na apresentação abaixo, do grupo Inovadores ESPM, responde e explica sobre a diferença entre um empreendimento digital e uma startup.

Ufa. Agora você consegue ter uma ideia melhor do que se trata, mas não vou parar por aí.

O Yuri Gitahy, mentor e fundador da Aceledora e especialista no assunto, possui outra adição:

Muitas pessoas dizem que qualquer pequena empresa em seu período inicial pode ser considerada uma startup. Outros defendem que uma startup é uma empresa com custos de manutenção muito baixos, mas que consegue crescer rapidamente e gerar lucros cada vez maiores. Mas há uma definição mais atual, que parece satisfazer a diversos especialistas e investidores: uma startup é um grupo de pessoas à procura de um modelo de negócios repetível e escalável, trabalhando em condições de extrema incerteza.

As Startups são mais frequentes na Internet porque é bem mais barato criar uma empresa de software do que uma de agronegócio ou biotecnologia, por exemplo, e a web torna a expansão do negócio bem mais fácil, rápida e barata – além da venda ser repetível. Mesmo assim, um grupo de pesquisadores com uma patente inovadora pode também ser uma startup – desde que ela comprove um negócio repetível e escalável.

Trechos do artigo do portal da revista Exame.

Em dos chats recentes do Papos na Rede, o Jonny Ken, contou que cuida praticamente sozinho do Migre.Me que também é considerada uma startup.

Nem sempre uma startup precisa de uma grande equipe. Basta de organização e muito trabalho. A minha sorte é que eu tenho muitos amigos, com especialidades diferentes que me ajudam.

- Relato do Jonny Ken sobre empreendedorismo no chat do Papos na Rede que rolou em junho deste ano. (vale MUITO a pena conferir esse chat!)

Neste sábado, 27/08, acontece a sétima edição do Bate-papo sobre e-Commerce em Salvador na Livraria Cultura às 14h.

O tema do Bate-papo será sobre Startups.
No próximo post falo um pouco mais do evento e dos convidados.